quarta-feira, 25 de janeiro de 2012



Eu tento não deixar-me ir de novo abaixo mesmo sentindo que as minhas energias estão a cada dia que passa a acabar.
Prometi a mim mesma que não iria mais procurar refúgio e conforto em algo que nunca foi meu nem me fez bem, mas mesmo assim caio na tentação de tentar e tentar sempre de novo com a esperança que tudo desta vez vai ser diferente e verdadeiro.
Mas essa falsa ilusão paga-se caro... Tudo dentro de mim grita de desespero de não conseguir avançar e ser finalmente livre e independente. Muitas vezes os sorrisos não são os mais verdadeiros nem os olhares os menos desejados e escrevo inconscientemente daquilo que cá dentro está farto e simplesmente revoltado pela vida ser tão cruel e injusta com quem lutou sempre contra os seus próprios sentimentos para fazer o mais correto e por causa disso saiu com marcas profundas no íntimo.
Ás vezes é desesperante contrariar os desejos e até mesmo os sentimentos e ter que fingir que sou alguém fria e sem coração só para não sair mais esmagada pelo mesmo motivo que fez de mim  prisioneira dos porquês.